8 de maio de 2016

No mês de Maria, um testemunho por dia: nº 08


Hoje é Dia das Mães, então o Espírito me inspira a testemunhar como minha mãe Maria do Socorro é modelo da Mãe do Céu para mim. Sempre penso que, se minha mãe, que sei que é mulher "humana", ou seja, tem seus defeitos e qualidades, já me permite perceber a tamanho da bondade de Deus agindo pelo ser humano, imagine Maria Santíssima! Vou ilustrar, para que fique claro.
  1. Tudo o que eu coloco nas mãos da minha mãe Socorro ela me devolve muuuiitoo melhor do que eu entreguei! Por exemplo, há algum tempo atrás o liquidificador da minha mãe deu defeito e ela me pediu o meu emprestado. Na correria que é meu dia a dia, dei uma limpadinha superficial e deixei na casa dela. No dia seguinte ela me mandou o liquidificador de volta e eu até fiquei em dúvida se era mesmo o meu! Ela limpou tão bem "limpado" que o treco ficou até mais branco que quando novo (ele era meio bege originariamente)! Se eu deixo um cobertor lá ele volta mais macio e cheiroso do que quando comprei; se é uma panela de pressão, volta com borracha nova; se é um álbum de fotos, volta organizado com etiquetas; se são as crianças, eles voltam com as unhas cortadas, orelhas limpinhas, perfumados e sempre mais gordinhos! :) Isso me faz entender que, se com minha mãe é assim, também é com Maria Santíssima! Posso colocar o que quer que for em suas mãos, na confiança de que, no momento certo, ela me devolverá muuuuito melhor que eu entreguei! Precisamos aprender a confiar nossas "coisas" à Virgem Maria! Colocar tudo em suas mãos sem temer, ela sabe como providenciar o melhor para nós junto a Jesus! Entregue e se despreocupe: quando ela te devolver, você terá uma grande a agradável surpresa!
  2. Sempre que eu estou passando por alguma dificuldade pessoal, minha Mãe meio que "sente" e mesmo que eu não conte nada ou tente disfarçar, ela descobre. É incrível essa perspicácia e sensibilidade! Realmente tenho que crer que é algo espiritual, como um dom carismático específico da maternidade! É só ela olhar para mim que logo fala: "Você chorou! O que foi?" Ou "Fala logo, o que que tá pegando? Desembucha!" E não adianta falar "nada não, mãe! Eu, heim!?" que não cola. Ela já sacou tudo, já está vendo uma forma de ajudar ou pelo menos de rezar. Assim também é Nossa Senhora conosco. Muitas vezes nem é necessário fazer uma oração formal de súplica clamando sua intercessão que ela já "sacou tudo", já está "passando à frente, abrindo portas e portões", desatando os nós, pisando cabeças de serpentes e fazendo todo o possível para ajudar, intercedendo junto a Jesus, mediando todas as graças e bênção de que precisamos! Nem precisar falar nada, ela sabe.
  3. Em outros casos eu nem chego a ter consciência de que estou precisando de algo e minha mãe já se adiantou e organizou tudo para mim, sem que eu pedisse, de uma maneira muito melhor do que eu jamais teria feito. Por exemplo, numa ocasião nós estávamos muito sem dinheiro para fazer uma festinha de aniversário para meu filho João. Então compramos apenas um bolo, poucos salgados e uns refrigerantes só para não passar em branco. Combinamos apenas com avós e tios de cantar um "Parabéns" e pedi à minha mãe que a reunião fosse na casa dela. Isso aconteceu no mês de junho, num ano de Copa do mundo. Meus pais e irmãos sempre gostam de providenciar "adereços" verdes e amarelos para entrarem no clima do futebol, mas naquele ano o Brasil não foi muito pra frente na competição, de modo que sobrou muita coisa. Resultado: quando chegamos de tardinha, a sala estava toda verde e amarela, com balões, bandeirolas, cornetas, todo tipo de enfeite de futebol, bola, chuteira, etc que tinha sobrado da Copa. João, que já tinha sido avisado que seria só um bolo, quando viu tudo aquilo arregalou os olhos e ficou imensamente feliz pelo que a vovó tinha "aprontado"! E nós também! Foi uma festa pra lá de chique e animada, muito além das nossas expectativas, graças a vovó. Assim também age Nossa Senhora: o povo acha que vai ter uma festinha fajuta com um vinho mais ou menos e não fica sabendo que ele está para acabar! E ela já está reunindo os serviçais, separando as talhas, providenciando a água e "apressando" Jesus para realizar o milagre para nós! E o que esses dois organizam e empreendem é muito, muito superior do que poderia supor nosso alheamento e incapacidade! 
  4. Minha mãe é do tipo superprotetora, leoa com os filhotes. Ai de quem chegar perto de nós! Mas sempre soube nos corrigir para nossa evolução. Nunca nada passa em branco para ela: sempre me advertiu em meus erros, às vezes com firmeza, às vezes com jeitinho, às vezes com indiretas (ela adora essa modalidade! kkkkk), às vezes me deixando colher os frutos dos meus atos. Eu só sei de uma coisa: quando eu não escuto minha mãe, as chances de eu me arrepender são altíssimas! Além de amargar os prejuízos já posso me preparar para os inevitáveis "Mas eu avisei!", "Toma!", "Não ouve a mamãe... Olha aí!" É batata! Além de avisar, de corrigir, de orientar, de ser muitas vezes ignorada ela ainda tem que me colocar no colo depois que a lambança está feita e me consolar! Aí não é mole não, né? Mas eu posso estar tranquila pois ela mesmo assim nunca se omite e nunca me falta, com amor e (muitas vezes) com paciência! :) Da mesma forma acontece com Nossa Senhora, que é Mãe e Mestra. Aquela música tão linda da Irmã Kelly Patrícia canta: "Minha mãe é a Virgem Maria! É ela que agora vai me acolher, me abraçar, me perdoar, me compreender, me aclamar, me ensinar, me educar, me formar, me amar!" E é exatamente assim! Olha, conselho de amiga: não vale a pena descartar os ensinamentos e orientações nem de sua mãe quanto menos de Maria! Ela nos protege sempre mas como Mãe Celeste vai nos corrigir quando for preciso e precisamos estar atentos e ser obedientes! 
  5. Mais um último exemplo que queria destacar de semelhança entre minha mãe e Nossa Senhora para encerrar esta postagem (é preciso finalizar se não passaria uma eternidade aqui meditando nessas similaridades das duas!). Minha mãe sofre calada. Não reclama. Se doa por nós e não cobra nada para ela. De fato ela medita as coisas no coração e reza. Muitas vezes sente nossa falta, quer nossa presença, nossa companhia, mas fica na dela para não incomodar. Vez ou outra dá uma investidazinha, mas não força. Tentamos sempre corresponder, mas nem sempre conseguimos na correria do dia a dia atarefado! Sinto que estou sempre aquém do que ela merece em termos de carinho e de honra. Também com Nossa Senhora é assim: espera por nós, sente nossa falta, sente saudades, mas não força, não reclama, aguarda uma atitude nossa. Nos protege, nos livra, intercede constantemente por nós e sempre nos respeita. Que neste dia das Mães possamos receber do alto uma graça especial: a graça de sermos filhos melhores para nossas mães! Filhos melhores para Maria Santíssima! Que sejamos gratos e saibamos reconhecer os inúmeros sacrifícios que nossas mães fizeram e fazem por nós! Que empenhemos nossa vida e missão em retribuição ao imenso sacrifício de amor que Maria nos concedeu: a oferta de Seu amado Filho na Cruz para a remissão dos nossos pecados. Amém!