29 de maio de 2016

No mês de Maria, um testemunho por dia: nº 29


A gestação e o parto são momentos especiais para toda mãe. Muitas vezes, eles se convertem em momentos de tensão e preocupação, pois embora seja um processo natural, sabemos que muitas coisas podem acontecer. Mas não podemos passar por eles com sentimentos negativos, com pessimismo, pois são etapas inigualáveis na vida da mulher! Não podemos permitir que essa fase tão especial nos traga depois lembranças amargas! No que depender de nós, nossas memórias das gestações com que o Senhor nos abençoar e dos nossos partos serão momentos de muito amor, de alegria, vividos na consciência da gratidão que devemos ter a Deus por tão grande graça!  Precisamos viver cada momento com simplicidade, com calma, com todos os cuidados necessários, mas com felicidade, com otimismo, com paz, na presença de Jesus e de Maria! 
Desde a gravidez da Clarinha, foi assim que o Espírito Santo foi me conduzindo: para ser leve, confiante, aberta, paciente, serena, feliz com o momento! E assim cada uma das outras também! Tive minhas dificuldades em determinados episódios, mas não me deixei abater nem durante as gestações, nem nos momentos dos partos. Esperava desde a 1ª vez e tinha me preparado para um parto normal, sonhava em experienciar o rompimento da bolsa, as contrações e tudo o mais que vemos nos filmes e novelas. Infelizmente, nunca soube o que é nada disso: minha bolsa nunca rompeu, os ossos dos meus quadris nunca se moveram, nunca dilatei nenhum centímetro, nunca senti nenhuma contração, (mesmo esperando até a 42ªsemana no caso da Clarinha), em nenhum dos meus filhos! 
Existe toda uma discussão hoje em dia sobre as cesárias desnecessárias e o parto humanizado, mas eu, infelizmente nunca pude vivenciar um momento como esse. Ao invés de me entristecer e mortificar, louvo a Deus por todos os profissionais que me acompanharam em meus pré-natais, esperando comigo, analisando minha situação e a do bebê, agindo com profissionalismo e prudência para que tudo acontecesse da melhor maneira possível para que meus tesouros viessem ao mundo com saúde e segurança e eu também estivesse bem para cuidar deles.  Louvado seja Deus pela medicina que ajuda mulheres como eu no sonho de ser mãe! 
É impossível não me recordar da gestação de Nossa Senhora quando estou vivendo minhas próprias gestações. Toda sua entrega em meio a tantas pressões, toda sua confiança em Deus, a providência divina agindo em seu favor, sua simplicidade e pobreza... Sempre me vem tudo isso à mente quando penso em fazer grandes coisas, projetos "megalomãeníacos": badalados chás de fraldas, enxovais luxuosos, decorações exageradas para o quartinho... tudo isso perde o sentido quando contraponho com o modelo de Maria e José! Acabo sempre optando pelo "menos é mais", inspirada na Sagrada Família, buscando a eles como exemplo! 
E é incrível como experimento a providência divina nestes períodos! Quantas doações, presentes, dos pequenos detalhes até as grandes coisas: tudo envolvido por uma graça especial mesmo de fraternidade com meus familiares que me ajudam, com meus amigos que me cercam de orações e cuidados, com a comunidade da Igreja que nunca deixa de estar presente nesses momentos! Somos sim abertos à vida, abertos aos filhos que o Senhor quiser nos mandar, pois experimentamos na concretude do cotidiano que Ele é nosso PASTOR e nunca nos deixa faltar nada! Do desejo de comer canjica que a irmã da RCC faz deliciosamente como ninguém, às fraldas que ganhamos sempre dos amigos, até o berço novinho que chega da comadre! Nada, nada nos falta! Ele nos manda seus filhos, nós o acolhemos honrados e fiéis, e Ele providencia, junto ao nosso trabalho e sacrifícios e à caridade dos irmãos, tudo para sua chegada! 
Sempre, SEMPRE louvo e agradeço imensamente quando trago à minha mente o quanto sou favorecida por poder fazer tudo o que faço e ter minhas gestações e partos da maneira como tenho tido, pois ainda que com toda simplicidade, é sempre tão mais confortável do que o que Maria e José dispuseram! A possibilidade do plano de saúde, do acompanhamento médico hospitalar com uma equipe sempre tão competente, em espaços tão limpinhos e organizados! É um contraste enorme com a gruta de Belém, a manjedoura e as faixinhas que envolveram o bebê Jesus! Sempre me emociono com isso, agradeço e peço perdão a Sagrada Família, por tantas mães e bebês que ainda hoje repetem as faltas de condições experimentadas em nosso sistemas de saúde, vítimas da injustiça social, produtos das corrupções políticas! Clamo misericórdia para as tantas Marias, Josés e Jesuzinhos que nascem ainda em situações piores que as de Belém naquela ocasião sublime! Ó, Senhor, misericórdia... Mas sei que, mesmo em situações difíceis, o Senhor não está ausente, e a graça surge, sempre surge, assim como surgiu para José e Maria, como surge para mim e, através dos projetos que ajudamos sempre que podemos, surgem também para essas mãezinhas necessitadas...
Todas as minhas gestações foram fonte de bênção na minha história, até as que não foram adiante! Não existem palavras que possam agradecer a Deus pela permissão que nos deu de sermos co-criadores com Ele! Cada desconforto é uma bênção, cada peculiaridade desse período é vivida numa perspectiva que jamais pode se limitar a um entendimento somente humano, pois é um verdadeiro milagre sobrenatural! Um ser humano completo e perfeito, se desenvolvendo dentro de mim sem que eu tenha controle nenhum sobre sua evolução?! É uma graça muito grande! É um mistério que nos ultrapassa para além de toda cognição, de toda psicologia, de todo entendimento biológico, ou emocional, ou até mesmo antropológico, filosófico ou teológico: é divino! É obra divina! 
Todos os meus partos foram momentos especialíssimos, cercados de cuidados, amor, ajuda, orações, presenças amigas... Sabe quando alguém te pergunta sobre os momentos mais felizes de sua vida? Eu me lembro das minhas gestações e dos meus partos! Foram até o momento quatro cesarianas e não tive nunca do que me queixar! Até quando algo aparentemente não "dava certo", estávamos sempre tão envolvidos num clima de paz, de proteção divina, que na memória ficou só a sensação de tempos de aconchego, de intimidade, uma sensação morninha em tom pastel, como se fosse um sonho bom... Não estou romanceando, é a verdade do meu coração. Felicidade não é sinônimo de perfeição segundo nossos planos particulares, felicidade não é ausência de dores ou sofrimentos! Felicidade, que possamos entender de uma vez por todas, não é tudo acontecer exatamente do jeito que queremos! Felicidade é a paz que vem da presença de Jesus e de Maria junto a nós, seja esses momentos como forem, esta é a verdadeira felicidade! 
Tenho visto muitas mulheres bem à vontade ultimamente (especialmente pelas redes sociais) a reclamar destes períodos, se queixar da gravidez, do parto, do puerpério, da amamentação, fazendo uma amargurada "denúncia" de que não é tudo um mar-de-rosas, que é sofrido, que é horrível, que ninguém comenta o quanto é difícil, mimimi etc e tal. Tenho pena destas! Em seu auto-centrismo estão na busca hedonista de serem servidas, de serem poupadas, de terem aquela visão tão negativa própria de quem é mimado e nunca está satisfeito mesmo recebendo tudo na mão e se ressente estando agora no lugar de quem tem que oferecer e não de quem recebe!  Vivem de suas faltas de experiência em se doar e da incapacidade de se alegrar mais em dar do que em receber! Que contrassenso: se auto-intitular "empoderada" por arrogante pseudo-sinceridade e se comportar de maneira tão miseravelmente fraca, se vitimizando pelas vicissitudes do que são simplesmente ossos do ofício! Alô-ôu, mulherada! Pára, que tá feio! Empoderada mesmo é quem sabe ser feliz, mesmo nas adversidades! Quanto mais mimimi, menos poder: vamos ser felizes! Vamos olhar com visão positiva, com a força, com a garra, com o otimismo que só as mães  de verdade, as "mãe-leoas" conseguem ter nas batalhas da vida! 
Não me refiro àquelas mulheres que realmente têm problemas sérios nestas etapas, mas à essas que acham que ser mãe é continuar sendo o centro de sua existência (Ô, coitadas!). Lamento por essas! Quando nos tornamos mães, nunca mais estaremos em primeiro lugar! As que buscam isso, de duas uma: ou serão eternamente infelizes tentado ser o centro de suas existências de novo, ou serão sempre amargas pelo lugar privilegiado que perderam de suas antigas vidas antes da maternidade, com grande chance de cobrarem de seus filhos (que não pediram para nascer) pela "felicidade perdida"! Pobres filhos dessas tristes mães! 
A receita da felicidade na maternidade é a consciência de que uma vida de doação se inicia logo na concepção e esta vida é boa, nos completa, é nossa vocação, nossa missão maior, a realização da nossa existência! Nunca mais será sobre mim somente, mas sobre nós, sobre a família, para sempre! Se entendermos isso, e formos capazes de ver a beleza disso: toda amargura vai embora! Toda dificuldade se transforma em desafio a ser superado com amor e por amor! Todo egoísmo se modifica em doação! Quem tiver dificuldade em viver isso, deve refletir seriamente ANTES de se tornar mãe... Ou você acha que estas (gestação e parto) são as fases mais difíceis da maternidade? Amaaaddaaa!!! Estas são talvez as fases mais trabalhosas, os primeiros meses, as madrugadas, cólicas e amamentação mas é bem provável que nem sejam as que mais vão exigir de nós como mães, exigir nossa força, nossos sacrifícios, nosso empenho! Seremos mães por toda a vida!! Isto é só o começo! É como os jogos de video game: cada fase é mais desafiadora que a anterior!
Pois eu não vou nem mentir, eu amei e amo cada etapa, 100%! Para mim é tão bom, tão especial, que até o que é ruim é bom! kkkkkkk Os enjôos são chatos? Óbvio que sim! Mas vou ficar lamentando? Ah, véi, pára com isso! Curta o momento! É hora de comer uva azeda, chupar picolé de limão, comer bala de gengibre! Aproveita! O inchaço incomoda? Coloca as pernas pra cima, faz hidroginástica, drenagem linfática, peça massagem ao maridão: aproveita como puder! Querida, isso é natural, vai rolar: sossega seu coração e procure soluções que amenizem! Tira da sua boca as reclamações inúteis! Você vai ganhar peso? Sim, óbvio! Faça de tudo para cuidar da alimentação, reze, medite, respire, faça suas receitas preferidas, peça às pessoas que te mimem, peça à mamãe os quitutes da infância: aproveita! Retire da sua gravidez toda reclamação, toda murmuração, todo mimimi: tenha em sua mente Nossa Senhora, a gestação dela, tudo o que ela passou, o parto que ela teve e SEJA GRATA, SEJA MULHER DE LOUVOR! Louve a Deus, seja uma mulher positiva, otimista, de oração, de louvor e depois poderá testemunhar o impacto que isso tudo teve na personalidade do seu bebê! Mamãe de louvor: bebê calmo, alegre, que se alimenta bem, que dorme bem! Faça o teste! 
Consagre sua gestação e seu parto a Maria Santíssima! Dialogue muito com o pai do bebê, orem juntos e peça a proteção de São José para ele! Converse, cante para seu bebê: é a vez dele agora! Não foque tanto em você, pense no seu milagrezinho aí, dentro de você! Encha seu dia a dia de coisas boas e bonitas, na simplicidade de suas possibilidades, ainda que tudo esteja difícil, que nada tenha acontecido como você tinha planejado, LEMBRE-SE DE MARIA! Ela se abriu, disse sim, confiou e valeu a pena. Vai valer a pena pra mim também, CADA VEZ QUE EU FOR ABENÇOADA COM UM NOVO FILHO, eu creio! E vai valer a pena pra você também, acredite! 
Repita constantemente: eu sou abençoada por esta gravidez, OBRIGADA, JESUS! Eu serei abençoada em meu parto, ME ABENÇOE, NOSSA SENHORA DO BOM PARTO! Minha recuperação será muito feliz! A amamentação será cheia da graça de Deus! Serão momentos de paz, na presença de Jesus e de Maria! Minha família se completará em graças e bênçãos com esse bebê! Eu abençoo o meu ventre! Eu abençoo o meu filho, os irmãozinhos, o meu marido, o meu casamento, a nossa família! Eu te entrego, Senhor, o meu médico(a) toda a equipe! Eu te consagro, Maria, o momento do parto, cada detalhe, cada medicamento, cada instrumento! 
Ore! Ore muito, clame, louve! Abençoando sempre, nunca murmurando, pois a reclamação atrai a maldição! Abençoe, não amaldiçoe! Seja grata, seja otimista, seja mulher de louvor, seja corajosa como Maria! Você foi escolhida para viver um milagre! Fique honrada! Se alegre! Encare, como Maria! Deixa Deus cumprir os desígnios Dele em sua história, como fez com Maria! Sua gestação terá impacto na humanidade inteira: cada filho de Deus que nasce nesta terra tem uma promessa divina vinculada a ele, tem uma missão nesta terra! E você e o pai dele foram escolhidos por Deus para serem os guardiões desse tesouro, desse mistério de amor! Tenha uma postura digna da sublimidade do momento! 
Não pare nas dificuldades, erga a cabeça, sobe no salto (ou melhor, na sapatilha ou rasteirinha, mais adequadas para o nosso estado!), CONFIA EM DEUS! Ele é nosso PASTOR, não vai nos abandonar! Maria sabe o que é estar grávida, o que é dar à luz, ela estará sempre conosco! Abra a mente para a alegria que vem de Deus, abra o coração para o amor que o Espírito Santo faz brotar desse momento! Não passe esses momentos especiais com medo, com raiva, deprimida: deixa Deus fazer deles os mais felizes da sua vida! Pois esta é a vontade Dele para você e para mim, nestes tempos especiais! 
Que Deus nos abençoe! Que Maria nos proteja!