27 de maio de 2016

No mês de Maria, um testemunho por dia: nº 27


A experiência de estar doente pode ser um grande aprendizado! Nesta vida, neste mundo, estamos suscetíveis a sofrer todas as situações que o pecado original trouxe à criação, incluindo as doenças e a morte. E creio que, se entregamos com toda sinceridade e fé a nossa vida ao Senhor Jesus, especialmente pelas mãos imaculadas da Virgem Maria, tudo o que nos acontece tem Sua permissão com algum propósito! 
De todas as vivências que a Divina Providência me proporcionou, a de estar doente foi uma das que mais me ensinou sobre humildade, abandono, dependência, solidariedade... Felizmente nunca tive graves problemas de saúde, mas já experimentei o que é estar internada, a base de remédios, sentindo dor, dependente dos outros para tudo e posso atestar, é uma experiência que desejo a todos, pois sei que só nos identificamos, só entendemos o que é estar nesta situação quando sentimos na própria carne. Só quem já esteve doente é capaz de se sensibilizar de toda alma como o bom samaritano (Lc 10, 30-37) e colocar em prática Mt 25, 36: "Estive doente e foste me visitar". 
Uma das vezes em que me vi nesta especial situação foi, recentemente, numa crise de cálculo renal. Não foi a 1ª vez que passei por isso e vários fatores contribuem para que eu seja, como me explicou o médico, "uma fábrica de pedras"! Hoje em dia já pude fazer uma pesquisa mais detalhada com uma equipe de urologistas e nefrologistas e descobrimos a causa deste fenômeno, mas nesta ocasião fui acometida das piores dores que já senti na vida. Ainda não tinha passado pela situação de gritar de dor até então. Eu, que sou tímida, nem me importei do "papelão" pois não havia mais nada na minha consciência além daquelas dores quase insuportáveis!
Quem cuidou de mim na ocasião foi meu esposo Juliano e ele mesmo disse que estava constrangido com a situação, mas muito mais penalizado pois nunca tinha ajudado alguém daquele jeito. Ele, que me conhece, sabe que normalmente tenho uma grande resistência para dor e, se eu estava berrando daquele jeito, é porque a coisa estava feia! 
Posteriormente ele me contou que eu só gritava: "Mãããããeee!! Mãããããeeee, me ajudaaaa!!!" E ele tentava me perguntar: "Você quer que eu peça pro seu pai trazer sua mãe aqui?", achando que se tratava da minha mãe Socorro. Mas se tem uma coisa que me tranquiliza nessas horas é que a vovó fica com as crianças e eu não preciso me preocupar com meus filhos pois com ela tenho certeza de que estarão bem cuidados. A mãe que eu chamava era a Outra! Era a Virgem Maria! Sem pudor nenhum eu gritei por minha Mãe Celeste e só parei de gritar quando me doparam de medicamentos. 
Passei por procedimento cirúrgico para retirada dos cálculos e quem já passou por isso sabe que as dores nos acompanham antes, durante e depois! Fortes analgésicos são nossos companheiros em todo a evolução do quadro até o nosso restabelecimento pois as dores fazem hora extra, nos brindam com sua presença de manhã, de tarde, de noite, de madrugada! Nesta última ocasião, o Espírito me suscitava o Salmo 120: "Para os montes levanto os olhos: de onde me virá socorro? O meu socorro virá do Senhor, criador do céu e da terra. Ele não permitirá que teus pés resvalem; não dormirá aquele que te guarda. Não, não há de dormir, nem adormecer o guarda de Israel. O Senhor é teu guarda, o Senhor é teu abrigo, sempre ao teu lado. De dia, o sol não te fará mal; nem a lua durante a noite. O Senhor te resguardará de todo o mal; ele velará sobre tua alma. O Senhor guardará os teus passos, agora e para todo o sempre." Eu o chamo carinhosamente de "o Salmo do Cálculo" pois repetia constantemente "de onde me virá meu socorro? Oi? De onde me virá o socorro?! Eiii! Socorro, gente! Jesuuusss!! Mariaaa!! Socorro, gente!" 
E como diz aquele outro Salmo 33, 7: "Esta infeliz gritou a Deus e foi ouvida e de todas as angústias me livrou"! Eu incomodei mesmo o Senhor Jesus, pois sabia que Ele podia me tirar daquela situação, mas não antes do tempo necessário. Eu fui inconveniente com Nossa Senhora, gritei por ela como Mãe e ela esteve comigo em cada segundo, com enfermeira, psicóloga, amiga, verdadeira Mãe. Esta era a única oração que conseguia fazer: "Socorro, gente! Mãããããeeee!! Jesuuuusss!!" E foi uma oração válida, na hora de Deus, fui atendida! Glória e louvores a Ti, Senhor! Obrigada, Mãe do Céu! 
Já comentei aqui neste Blog que nem sempre a resposta do Senhor é "sim" para nós e de como eu já recebi "nãos" como resposta às minhas súplicas. Isso é possível, pois assim como nós somos livres em nossas respostas a Deus, mais ainda é o Senhor Onipotente em Suas repostas a nós! Especialmente por Ele saber de todas as coisas que muitas vezes ignoramos, por Ele ter seus desígnios misteriosos que só conheceremos na glória. 
Mas uma coisa é certa: Jesus nunca é indiferente à nossa situação e Nossa Senhora nunca está ausente diante das dores dos seus filhos! Recorramos a Ele com fé, invocando seu Santo Nome, ao qual todo joelho se dobra e tenhamos visão espiritual para esse curso intensivo de humanidade, de virtudes, de espiritualidade que é a experiência da enfermidade e do sofrimento. É a escola mais eficaz de misericórdia na qual podemos estudar! Quando percebemos que nós mesmos temos necessidade que os outros tenham misericórdia de nós, nos visitem quando estamos sozinhos presos em nossos repousos, nos mandem palavras de conforto quando nos sentimos abandonados e fracos em nossas camas, aprendemos a nos colocar no lugar dos outros irmãos que passam pelas mesmas situações! Só quando precisamos de misericórdia para nós mesmos aprendemos a detectar quando os outros também estão precisando da nossa misericórdia! Só quem já passou pela miséria da doença sabe o quanto é importante a misericórdia dos sadios!
Contemos igualmente sempre com Nossa Senhora e gritemos por nossa Mãe Celeste mesmo, como crianças dependentes as quais o Mestre garantiu que estava destinado o Reino dos Céus! Peçamos suas mãos nas nossas mãos, seu beijo nos nossos machucados como as mães fazem quando os filhos se ferem e saem correndo em nossa direção querendo proteção! Supliquemos seu abraço, seu colo, sua intercessão! Ela virá em nosso auxílio, SEMPRE! E, sob sua proteção, peçamos ao Espírito, que nos ensina todas as coisas, o educador das almas, a calma para passar por esse difícil "curso da enfermidade" com nota 10, sendo aprovados pelo Mestre Jesus como pessoas mais fortes, mais humildes, mais sábios, restaurados no corpo e na alma!
ORAÇÃO: Virgem Puríssima, que sois a Saúde dos Enfermos, o Refúgio dos Pecadores, a Consoladora dos Aflitos e a Despenseira de todas as graças, na minha fraqueza e no meu desânimo apelo hoje, para os tesouros da vossa divina misericórdia e bondade e atrevo-me a chamar-vos pelo doce nome de Mãe. Sim, ó Mãe, atendei-me em minha enfermidade, (fazer o pedido) dai-me a saúde do corpo para que possa cumprir os meus deveres com ânimo e alegria, e com a mesma disposição sirva a vosso Filho Jesus e agradeça a vós, Saúde dos Enfermos. Nossa Senhora da Saúde, rogai por nós. Amém.