22 de maio de 2016

No mês de Maria, um testemunho por dia: nº 22


Sempre que a Divina Providência me dá a grande graça da possibilidade de estar em adoração ao Santíssimo Sacramento, entendo que a primeira, que já está na porta da Capela, me aguardando para viver esse momento comigo é Nossa Senhora. Ela que foi o 1º sacrário está sempre a encaminhar seus filhos para estarem aos pés de Jesus. 
Existe uma música antiga do Ministério AMIGOS DO PAI que dizia: "Um tempo para encontrar Jesus é o que Maria vem nos pedir pois ela nos ama e sabe que assim permaneceremos em Jesus e Ele em nós". Essa música é bem dos tempos dos inícios da minha caminhada de conversão e foi guiando minha espiritualidade até os dias de hoje...
Sinto que cada adoração que eu participo, seja marcada por compromissos da Igreja, seja "espontânea", me parece que foi Nossa Senhora da Divina Providência que arquitetou para eu pudesse estar ali, vivendo aquele momento sempre intenso de proximidade com Jesus, seu Filho, nosso Senhor. Quantas e quantas vezes, na época do Grupo jovem, tentávamos sair juntos para alguma "balada" e acabávamos nas capelas da cidade em alguma vigília que nem sabíamos que estava organizada!... A Eucaristia nos atraía como ímã para seus pés e a mão que nos guiava era as doces mãos da Mãe, sem sombra de dúvidas...
Por várias vezes, ainda nos dias de hoje, saindo para a "rua" para resolver mil coisas normalmente num curtíssimo espaço de tempo, especialmente quando as crianças estão na escola, as Capelas pelo Caminho me "chamam" para um momento, ainda que breve, de adoração. Na porta está sempre a Mãe para me receber espiritualmente, sorrindo como quem diz: "você veio!". 
Sempre que adentro alguma Capela, sinto-me adentrando como que o útero espiritual de Maria, ou seu Imaculado Coração, onde bem no centro permanece Jesus guardadinho, recolhido humildemente, sob as espécies eucarísticas. É sempre, sempre um encontro de amor! Todos os momentos mais felizes e os mais tristes de minha vida, posso testemunhar, passei por diante do Sacrário, na companhia de Maria. Momentos de luto, momentos de grandes decisões, momentos de súplicas e intercessões ardentes, depois de cada parto ( o 1º lugar que cada um dos meus filhos visitaram ao sair da Maternidade foi sempre o Sacrário!), dias de aniversários, dias de sorrisos, dias de lágrimas... Sempre! Sempre com Maria, diante de Jesus Eucarístico! 
Nada disso é mérito meu! Tudo isso é graça do Espírito, iniciativa de Jesus, condução de Nossa Senhora! Minha única atitude é dizer "sim", e como gostaria de poder dizer mais "sins" para a adoração Eucarística no meu cotidiano! Sim, é verdade que na Adoração ao Santíssimo Sacramento, Jesus Eucarístico é o centro absoluto, o foco principal, o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, o objetivo e a meta, mas tudo isso com Maria atrás de mim, com suas mãos amorosas sobre meus ombros enquanto estou ajoelhada voltada para o sacrário ou ostensório. 
Que possamos ter a graça de sermos eucarísticos porque marianos, e marianos porque eucarísticos. São duas realidades que se complementam e nos fazem coerentes em nossa catolicidade! O Sagrado Coração Eucarístico de Jesus, transpassado pela lança na Cruz da nossa salvação e do qual jorra o sangue da nossa redenção e as águas purificadoras da unção do Espírito Santo bate no mesmo compasso do Imaculado Coração de Maria, transpassado igualmente pela espada de dor profetizada pelo velho Simeão na apresentação do menino Jesus no Templo. Não é possível separar esses dois Corações! Adoremos o Divino com a extrema cumplicidade do Materno!