29 de março de 2013

O "colo-sacrário" da Maria




Mesmo antes de eu me tornar mãe, sempre admirei a figura de Maria. Talvez por que eu tenha a melhor mãe do mundo (Maria do Socorro: mãe, te amo!), desde cedo eu aprendi a valorizar o que é a figura materna. Como o colo materno nunca me faltou, posso dizer com autoridade que não existe lugar mais seguro, macio, cheiroso nessa existência material! 
Isso de "co-criar" um ser humano em seu próprio corpo muitas vezes passa para as pessoas como algo banal, mas para mim não... No silêncio escuro do interior da mulher acontece paulatinamente um milagre. Suas células, seu oxigênio, seus nutrientes, seu sangue... tudo vai contribuindo para, pouco a pouco, construir um pequeno ser que vai se tornando vivo, adquirindo movimentos, aumentando de tamanho, ganhando feições humanas, "virando gente". Mesmo que nas primeiras fases ainda não tenha consciência e cognição, esse ser se move, sente, aos poucos escuta, interage. Para os que crêem, a sopro de Deus está nele, pois foi sonhado, desejado e querido desde toda a eternidade. Em sua presciência, o Senhor já tem missões e planos para a sua vida, seja ela curtíssima, curta ou longa! Não, meu amigo e minha amiga... Isso de gerar um ser humano, de "co-criá-lo" pode ser natural, mas jamais será algo ordinário!...
E o que mais me espanta nisso tudo, é que Deus quis, optou por passar por toda essa experiência no seio de uma mulher. Ele poderia apenas surgir, descer, aparecer, ou utilizar outra maneira qualquer, mas preferiu o ventre de uma mulher para revestir de carne sua divindade. Se já não fosse suficiente esse milagre da concepção e gestação dos seres humanos ocorrer com meros mortais, que "escândalo" maior ainda não é o Mistério da Encarnação do Verbo! Deus quis ser gerado no ventre de Maria! 
Depois que me tornei mãe, esses pensamentos frequentemente me ocorrem, causam enorme pasmo e a admiração! Deus quis ser gerado e escolheu uma mulher especial para tal. Essa mulher interagiu com ele desde antes que Ele estive "completo" enquanto ser humano; acompanhou seus primeiros movimentos, esteve com Ele em seu primeiro choro, seu primeiro grito ao mundo. Deus quis experimentar a imensa paz que é para um homem estar no colo de sua mãe. 
Só quem amamentou um filho que ama nessa vida pode entender a tamanha comunhão desse momento, o amor, a cumplicidade... Agora imagine isso entre Jesus e Maria! Jesus nenêzinho, no colo de  Maria, sendo acalentado, alimentado, amado.
Desde que me tornei mãe aprendi que diante da responsabilidade de se ter um filho todo o restante de nossa vida fica em segundo plano. A dependência dos primeiros anos se mistura com a relação de amor e, mesmo inconscientemente, nos tornamos servas deles. Só  no tempo em que escrevo essas linhas, já vesti um short, limpei um nariz, dei uma bronca por causa da correria perigosa e ganhei um beijo! :) Agora transfira essa realidade para a experiência entre Jesus e Maria! Minha imaginação devota corre léguas, meus pensamentos se voltam para aquele colo-sacrário da Virgem...
Então nesses dias em que meditamos os sofrimentos de Jesus, não consigo me desligar de Maria. Só uma mãe apaixonada conhece a dor de ver um filho sofrendo e, nesse sentido, um ralado no joelho ou um tratamento oncológico podem igualmente enlouquecer qualquer mãe. Pode ser um simples sofrimento ou o maior dos sofrimentos, mãe que é mãe preferiria mil vezes tomar o lugar do seu filho e sofrer no lugar dele. E eu garanto para você que lê essas linhas, seja você católico ou não, devoto/filho de Maria ou não, que se Maria não fosse completamente apaixonada por seu Filho e Senhor, ela não estaria ali, de pé junto à Cruz como atesta a Palavra (Jo 19, 26). Ver um filho em sofrimento é a morte para uma mãe... 
Só de pensar no coração de Mãe de Maria acompanhando aquela humilhação, aquela injustiça, a visão daquele Corpo chagado que seu corpo gerou, que ela nutriu, que ela vestiu, viu crescer... Sério, a emoção bate forte no meu coração materno... Não consigo imaginar o que foi para Maria a espera pela descida desse Corpo amado e conhecido daquela Cruz! Não consigo imaginar o que foi para ela tomar de novo em seu colo seu "bebê" sacrificado por nós...
Meu irmão, minha irmã, toda essa meditação tem dois objetivos: valorize sua mãe, quer seja sua mãe biológica, quer seja a mãe que te criou, valorize Nossa Senhora, valorize a nossa Santa Mãe Igreja! O sofrimento de uma mãe é sagrado, tenha coração, não seja indiferente! Se você, como eu, como Jesus, teve colo nessa vida, VALORIZE! Não despreze quem te gerou, quem te alimentou, seja na carne, seja na FÉ! Nessa Semana Santa, VOLTE! Volte para sua mãe, faça uma ligação, uma visita! Volte-se para Nossa Senhora, contemple sua dor, reze para ela e com ela! Mesmo que sua "mãe terrena" já tenha falecido, você tem uma mãe de verdade na ordem da graça: conte com o colo de Maria! VOLTE PARA A SANTA MÃE IGREJA! TOME POSSE DO COLO QUE VOCÊ TANTO PRECISA, não o fique procurando na vida de pecado, de farra, de balada, de vazio, de solidão! Mesmo que você não se ache merecedor ou digno, mesmo que você ache que sua vida seja só de pecado, só de erros, só de fracassos, mesmo que o mundo te diga isso (assim como achou que Jesus Crucificado era!), você não é! Você tem um colo te esperando e uma mãe jamais rejeita um filho que volta: VOLTE! Volte para a sua família, VOLTE PARA A IGREJA que hoje colhe a cada um de nós em nossas "Paixões particulares" na Celebração da Paixão, 15hs em todas as Igrejas Católicas desse mundo! Volte para o seu colo!...
O missionário Dunga, da Comunidade Canção Nova, tem uma música chamada "No Colo da Mãe", com ela encerro essa meditação:


Olhando pra você meu irmão
Eu não vejo somente o pecado não
Sobre todo seu rosto estão
As marcas dos lábios suaves da mãe
Ao longo de todo caminho da cruz
O povo sentia dois focos de luz
Suave silêncio Maria produz
São marcas de passos que hoje conduz
Na cruz quando todos se foram
Sozinho outra vez ele se sentiu
Quando tudo ficou consumado então
O colo suave da mãe ressurgiu
Toda lágrima contida de mãe
Toda frase engolida na dor
Têm nos beijos a chance de pôr
Azeite nas chagas de nosso Senhor
Eu sou uma chaga de amor
Eu pertenço ao corpo de nosso Senhor
Eu preciso no colo da mãe estar
Pois lá o pecado não vai me alcançar
Encontrei um lugar para descansar
Pois dali Jesus nasceu e ao morrer pra lá desceu
Nunca mais nunca vou me separar
A Ti Nossa Senhora vou me consagrar é da igreja esse lugar
**Ouça a música nesse link: http://www.youtube.com/watch?v=hU9BV4BG-hw&feature=player_embedded