25 de março de 2011

Pregação: Amor Fraterno

Não tenhais medo dos relacionamentos humanos. É Cristo mesmo que nos ama através dos nossos verdadeiros amigos. João Paulo II

Jo 15, 12-17: "Disse Jesus: Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, como eu vos amo. Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos. Vós sois meus amigos, se fazeis o que vos mando. Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz seu senhor. Mas chamei-vos amigos, pois vos dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai. Não fostes vós que me escolhestes, mas eu vos escolhi e vos constituí para que vades e produzais fruto, e o vosso fruto permaneça. Eu assim vos constituí, a fim de que tudo quanto pedirdes ao Pai em meu nome, ele vos conceda. O que vos mando é que vos ameis uns aos outros."
  • Esse discurso de Jesus abre (vs. 12) e se encerra (vs. 17) com o mandamento de Jesus: "Amai-vos / uns aos outros / como eu vos amei."
  • O mandamento é Dele: pois deu não só com palavras mas também com a vida. 
  • Duas idéias principais nesse trecho da Oração Sacerdotal: 
  1. Tema Amigos: lei da amizade vai até a entrega da vida. // discípulos serão amigos de Jesus se observarem seus mandamentos. // Jesus considera discípulos"amigos" (e não apenas servos) pois confiou a eles tudo o que ouviu do Pai.
  2. Tema Eleição: Tudo é iniciativa de Deus (D. Terra). 
> Sinóticos: mandamento de Jesus é amor ao próximo (todos os homens, inclusive inimigos).
> Evangelho de João: mandamento de Jesus é amor recíproco entre os discípulos, COMUNIDADE (sem excluir amor universal). Tem um motivo: espelha-se o amor fraterno na participação na corrente de amor que une o Pai e o Filho. A partir dessa experiência íntima, passa-se ao próximo nível da abertura ao amor para os de fora, pois "nisto conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros" (Jo 13, 35).

Mas o que é amar? 


Pe Avelino Bertuzzi : "Amor não é apenas sentimento, amor é MANDAMENTO!"
O AMOR PODE SER MANDADO (exigido por Jesus) PORQUE ANTES NOS É DADO (1 Jo 4, 7: o amor vem de Deus) Bento XVII

AMAR é o contrário de ODIAR.

 1 Jo 4, 7-21: Amados, amemo-nos uns aos outros, pois o amor vem de Deus. E todo aquele que ama, nasceu de Deus e conhece a Deus. Quem não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor. Nisto se tornou visível o amor de Deus entre nós: Deus enviou o seu Filho único a este mundo, para dar-nos a vida por meio dele. E o amor consiste no seguinte: não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou, e nos enviou o seu Filho como vítima expiatória por nossos pecados. Amados, se Deus nos amou a tal ponto, também nós devemos amar-nos uns aos outros. Ninguém jamais viu Deus*. Se nos amamos uns aos outros, Deus está conosco, e o seu amor se realiza completamente entre nós. Nisto reconhecemos que permanecemos com Deus, e ele conosco: ele nos deu o seu Espírito. [O Espírito Santo é justamente o Amor entre o Pai e o Filho] E nós vimos e testemunhamos que o Pai enviou o seu Filho como Salvador do mundo. Quando alguém confessa que Jesus é o Filho de Deus, Deus permanece com ele, e ele com Deus. E nós reconhecemos o amor que Deus tem por nós e acreditamos nesse amor. Deus é amor: quem permanece no amor permanece em Deus, e Deus permanece nele. Nisto se realizou completamente o amor entre nós: o fato de termos plena confiança no dia do julgamento, porque tal como Jesus é, assim somos nós neste mundo.["O Senhor vai julgá-lo pelo amor que devia ter tido e não teve. Por que Deus é amor e o Reino de Deus é amor. Aquele que não amá-Lo concretamente, agora, NAS PESSOAS que vê, não vai consegui viver o Reino de Deus depois, na outra vida." (Monsenhor Jonas Abib) //AMOR: CRITÉRIO PARA A DECISÃO DEFINITIVA SOBRE O VALOR OU INUTILIDADE DA VIDA HUMANA - BENTO XVI // AMOR: MISSÃO MAIOR DE UMA VIDA** ] No amor não existe medo; pelo contrário, o amor perfeito lança fora o medo, porque o medo supõe castigo. Por conseguinte, quem sente medo ainda não está realizado no amor. [Quem ama, não precisa ter medo do julgamento.] Quanto a nós, amemos, porque ele nos amou primeiro. Se alguém diz: «Eu amo a Deus», e no entanto odeia o seu irmão, esse tal é mentiroso; pois quem não ama o seu irmão, a quem vê, não poderá amar a Deus, a quem não vê*. E este é justamente o mandamento que dele recebemos: quem ama a Deus, ame também o seu irmão.
1 Jo 2, 9-11: Aquele que diz estar na luz, e , odeia seu irmão, jaz ainda nas trevas. Quem ama seu irmão permanece na luz e não se expõe a tropeçar. Mas quem odeia seu irmão está nas trevas e anda nas trevas, sem saber para onde dirige os passos; as trevas cegaram seus olhos.
1 Jo 3, 10-11.15-16: É nisto que se conhece quais são os filhos de Deus e quais os do demônio: todo o que não pratica a justiça não é de Deus, como também aquele que não ama o seu irmão. Pois esta é a mensagem que tendes ouvido desde o princípio: que nos amemos uns aos outros. Quem odeia seu irmão é assassino. E sabeis que a vida eterna não permanece em nenhum assassino. Nisto temos conhecido o amor: (Jesus) deu sua vida por nós. Também nós outros devemos dar a nossa vida pelos nossos irmãos. [Jo 15, 13: Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a sua vida por seus amigos.]

NOSSO AMAR A DEUS E AMAR OS OUTROS está intimamente relacionado, são coisas inseparáveis. Se amamos a Deus superficialmente, amaremos os outros assim. Se amamos a Deus de forma imatura, também amaremos assim os irmãos. Precisamos nos aprofundar e amadurecer em nossa relação com Deus para vermos os frutos nos relacionamentos com os irmãos. E vice-versa!! Esses são os frutos que Jesus quer que deixemos frutificar de nossa relação com ele e que esses frutos permançam. essa é a grande missão da nossa vida AMAR A DEUS E AOS IRMÃOS. Todo o resto é secundário e toda outra obra advém dessa primeira. 
** PRECISAMOS NOS DEDICAR À SÉRIO NISSO. SEREMOS JULGADOS PELO AMOR QUE EXERCITAMOS  e não pelos sentimentos que sentimos. Amor é mandamento, não apenas sentimento.

Papa Bento VXI explica que Amor não é sentimento apenas. Sentimentos vão e vem. Pode ser o início do amor mas não é sua totalidade. Amor é a união de três faculdades humanas: sentimento + inteligência (intelecto) + vontade (decisão). Junto às faculdades humanas, some-se a dose espiritual: o dom de Deus. "O sim da nossa vontade à vontade de Deus une intelecto, vontade e sentimento no ato globalizante do amor." >>> Processo: o amor nunca está concluído e completado, transforma-se ao longo da vida, amadurece.

NOSSO AMAR A DEUS E AMAR OS OUTROS está intimamente relacionado, são coisas inseparáveis. Se amamos a Deus superficialmente, amaremos os outros assim. Se amamos a Deus de forma imatura, também amaremos assim os irmãos. Precisamos nos aprofundar e amadurecer em nossa relação com Deus para vermos os frutos nos relacionamentos com os irmãos. E vice-versa!! Esses são os frutos que Jesus quer que deixemos frutificar de nossa relação com ele e que esses frutos permançam. essa é a grande missão da nossa vida AMAR A DEUS E AOS IRMÃOS. Todo o resto é secundário e toda outra obra advém dessa primeira. "Se na minha vida falta totalmente o contato com Deus, posso ver no outro, sempre e apenas, o outro, e não consigo reconhecer nele a imagem divina. Mas se na minha vda negligencio completamente a atenção ao outro, importando-me apenas com ser piedoso e cumprir meus deveres religiosos, então definha também a relação com Deus. Nesse caso trata-se de uma relação correta, mas sem amor." (Bento XVI)

Pergunta ao padre Avelino Bertuzzi: se é mandamento, preciso sentir afeto pela pessoa? Resposta: comece pelo mandamento, mas abra-se paulatinamente ao sentimento, à toda riqueza do amor.
"Eu amo, em Deus e com Deus, a pessoa que não me agrada ou que nem conheço sequer. Isso só é possível realizar-se a partir do encontro íntimo com Deus, um encontro que se tornou comunhão de vontade (casal apaixonado que pensa igual, quer igual, etc), chegando mesmo a tocar o sentimento. Então aprendo a ver aquela pessoa não somente com os meus olhos e sentimentos, mas segundo a perspectiva de JC. O seu amigo, é meu amigo." Bento XVI


CONCRETAMENTE, COMO AMAR?
  1. AMAR não é só não fazer/desejar o mal, mas fazer/desejar o BEM: perdoar, servir, ser paciente, ser bom, ser compreenssivo... tal como Jesus:
  2. REGRA DE OURO: "Aquilo que desejais que vos façam, façais vós aos outros". Mt 7, 12>  De mesmo jeito que você desja ser amado: AME.
  3. MEDIDA DO AMOR HUMANO: O amor de Deus, de Jesus: como devemos nos amar uns aos outros?  Como eu vos amei..
  4. 1 Cor 13, 4-7: UMA EXCELENTE RECEITA DE AMOR:
"O amor é paciente, é bondoso, não é invejoso, não é arrogante nem orgulhoso. Não faz o que é inconveniente, não busca o próprio interesse, não se irrita nem se julga ofendido. Não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. O amor tudo perdoa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta."

AMAR É DOM DE DEUS

Pessoas que tem dificuldade de amar (motivos variados):
  •  baixa auto-estima (cura interior)
  • experiências ruins, traumas, desconfiança das pessoas... (Mesmo se não me amaram, se com amor não me olharam, o Pai sempre me amou e ama: há amor em mim!!!)
  • orgulho, presunção...
Se sentem incapacitadas para amar. MAS O AMOR VEM DE DEUS! 1 JO 4, 7 
Música: Deus me ama, sou capaz de amar.... Deus não nos ordena um sentimento que não possamos suscitar em nós próprios. Ele nos ama primeiro, é o primeiro a nos amar (não fostes vós que me escolhestes, fui quem qum vos escolhi...), por isso nós também podemos responder com amor. Bento XVI

AMAR MESMO QUANDO É DIFÍCIL:
Jonh Lenon dizia que o amor que a gente recebe é igual ao amor que a gente dá. 
Mas com os cristãos não precisa ser assim, pois Deus age, Deus cura. Mesmo quando a situação não é favorável para a que amemos, São João da Cruz aconselhava: “Onde não há amor, põe amor e tirarás amor”.
Ou Papa Bento XVI: "O amor cresce através do amor."
Ou como São francisco: onde houver ódio, que eu seja um instrumento de paz e de amor...

Ele é nosso exemplo, pois amou até na Cruz.
Se Deus é meu amigo, se Deus me ama, eu sou capaz de amar, de perdoa, de conviver, mesmo quando meus sentimentos me dizem o oposto (pois amor é mandamento e não sentimento e essa graça vem de Deus).