12 de junho de 2013

Dez conselhos práticos para se viver um Namoro Santo



10. Ouvir os mais experientes. Ouve os conselhos, aceita a instrução: tu serás sábio para o futuro (Pr 19, 20). Claro que vocês não podem dar ouvidos para todos que quiserem dar ‘pitacos’ no relacionamento de vocês, mas com certeza o Senhor mostrará aquelas pessoas sábias, de caminhada, enviados por Ele mesmo para ajuda-los com unção e discernimento. Não é bom não ter ninguém de confiança para ensinar com os critérios bíblicos! Sejamos humildes e dóceis para ouvir as críticas e instruções e buscar sempre melhorar como casal de Deus!

9.    Fugir das tentações. Foge às ocasiões de pecado (Eclo 17, 20). Quanto mais tempo o casal vai convivendo e se conhecendo mutuamente, mais tem condições de perceber o que se torna uma oportunidade de a carne falar mais alto. Pode ser os dois ficarem sozinhos, pode ser um decote mais ousado, talvez algum tipo de dança, ou quem sabe até mesmo certas carícias. Ao detectar o que possa ser pedra de tropeço, retirá-la do caminho de vocês com toda responsabilidade e radicalidade.

8. Trocar a “DR” pelo “DO”. Quem responde antes de ouvir, passa por tolo e se cobre de confusão (Pr 18, 13). Ao invés de Discutir a Relação, Dialogue em Oração. Se algo incomoda, não pode ser omitido. Numa relação de Deus, os sentimentos obrigatoriamente viram palavras, tanto os bons quanto os não tão bons assim. Assim como a mentira pode destruir qualquer relação, o diálogo pode salvá-la. Esmerem-se na arte de ouvir e falar, sem segredos, com total franqueza e carinho, colocando-se sempre no lugar do outro. Não é fácil, é um processo que evolui com a intimidade e a cumplicidade ao mesmo tempo em que solidifica a união para o presente e também para o futuro. Por isso deve ser sempre colocado em prática em clima de oração.

7. Valorizar seu namorado/ sua namorada como a si mesmo. Amarás o teu próximo como a ti mesmo (Mc 12, 31). Não abandone sua família, as amizades ou negligencie nenhuma área da vida por causa do namoro. Não se isole, ao invés disso, insira seu(a) namorado(a) em sua vida. Não perca sua identidade nem anule sua personalidade para agradar. Saiba que o parâmetro da reciprocidade no relacionamento do namoro é o amor próprio, de modo que aquele que se anula por causa do outro está garantindo uma relação unilateral na qual seus sonhos, planos e desejos estarão num patamar inferior. Não se trata de um amor de si exacerbado, mas apenas consciente da própria grandiosidade: Deus me considera seu (a) filho (a) e me ama (1 Jo 3,1)! Sou valioso assim como o outro também é, pois a ele Deus também ama. E é na medida dessa verdade que eu posso me amar também, e transbordar esse amor para o outro.

6. Ser Igreja, de preferência juntos. Não relaxeis o vosso zelo. Sede fervorosos de espírito. Servi ao Senhor (Rm 12, 11). Este item poderia ser redundante em se tratando de uma proposta cristã de relacionamento, entretanto vários casais de Deus conforme vão avançando em seus relacionamentos, seus estudos, carreiras profissionais, tendem a assumir cada vez mais compromissos e, na agitação da vida madura, acabam por ficar sobrecarregados. E, em grande parte das vezes, qual o primeiro item da lista do ativismo que é riscado? Exato: a pastoral, o ministério, a Igreja. E quando nos afastamos da comunidade, é como se fôssemos amputados do corpo ao qual pertencemos, secamos como o ramo arrancado da videira, e consequentemente estaríamos deformando nosso relacionamento que se iniciou fundamentado na rocha. Faz parte do namoro santo incentivar sempre o outro a perseverar na obra de Deus e buscar caminhar juntos no caminho de Deus, já em vistas a uma vida futura em conjunto.

5. Pedir a intercessão de São José. José fez como o anjo do Senhor lhe havia mandado e recebeu em sua casa sua esposa (Mt 1, 24). Para quem busca um namoro santo, São José é o modelo perfeito para o rapaz! Cada detalhe que podemos ver nas entrelinhas do pouco que se fala dele no Evangelho serve de receita precisa de como ser um namorado santo: justo, respeitador, puro, casto, protetor, acolhedor, corajoso, homem de iniciativa, sensível às coisas sobrenaturais, conhecedor da Lei e obediente a Deus. O rapaz deve imitar-lhe as características e ambos devem contar e rogar por sua intercessão.

4. Ter Maria como Mãe. Disse ao discípulo: Eis aí tua mãe (Jo 19, 27). Quem busca um namoro santo não pode prescindir de ter Maria por Mãe de maneira especial, imitando suas virtudes, contando com sua intercessão, orando a ela constantemente. O casal de namorados que reza junto o Rosário coloca como que uma ‘cerca elétrica espiritual’ em seu relacionamento, verdadeiramente protegendo-o de todas as investidas de Satanás. O Diabo investe furiosamente nos casais que buscam um namoro santo, pois destes nascerão famílias santas! Mas Maria é aquela que pisa a cabeça da serpente, e na luta contra o Dragão ela sempre leva a melhor, pela graça de Deus! Ela é canal especial da graça da castidade, da pureza, da humildade, da paz no relacionamento! Ter Maria e José como parâmetro respectivamente para a namorada e para o namorado faz gerar Cristo para os amigos, os familiares, a comunidade, a sociedade, a Igreja.

3. Confissão: pedir perdão e perdoar.  Deus que, em Cristo, reconciliava consigo o mundo, não levando mais em conta os pecados dos homens, pôs em nossos lábios a mensagem da reconciliação. Em nome de Cristo vos rogamos: reconciliai-vos com Deus! (2 Cor 5, 19a.20b) Somos todos seres humanos, suscetíveis ao erro, e o remédio para isso é a reconciliação. A Confissão frequente é como uma vacina que age fortalecendo o organismo contra os males externos e as fraquezas internas. Não existe namoro santo sem o Sacramento da Confissão! A Misericórdia do Pai é inesgotável nele e nos provoca, nos desafia a sermos tolerantes também com nosso próximo. A Confissão é escola de perdão para o casal. A falta de perdão entre namorados é uma rachadura que vai se cristalizando em mágoa e termina por trincar e quebrar a relação. Namorar santamente é ter vida de reconciliado, primeiramente com o Senhor, e depois entre si.

2. Eucaristia: se alimentar do Senhor para se transformar Nele. Eis que estou à porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e me abrir a porta, entrarei em sua casa e cearemos, eu com ele e ele comigo. (Apo 3, 20) Nada há mais sagrado nesta terra que a Sagrada Comunhão, pela qual Jesus cumpre a promessa de estar conosco todos os dias. A Eucaristia é o alimento dos santos! Precisamos desejar estar na Ceia do Senhor adequadamente, com as vestes próprias (Mt 22, 11-14), ou seja, em estado de graça. Quanto mais o casal estiver na presença do Corpo e Sangue do Senhor, comungando-O, adorando-O, mais estará ajustado a Ele! Quanto mais nutridos pelo Pão da Vida o casal estiver, mas Cristo viverá em cada um! Assim o namoro vai se configurando mais e mais ao Evangelho.

1. Buscar a santidade independente do namoro! Vós vos santificareis e sereis santos, porque Eu sou santo (Lv 11, 44). Portanto, sede perfeitos, assim como vosso Pai celeste é perfeito (Mt 5, 48). Esta é a vontade de Deus: a vossa santificação (1 Ts 4, 3).  Assuma isso para a sua vida: eu sou batizado(a), sou templo do Espírito Santo, eu quero ser santo(a)! Almeje a santidade por si mesmo(a), antes por causa da Palavra do que por qualquer outra coisa. Queira ser santo para agradar ao Pai, para imitar ao Filho, para obedecer ao Espírito Santo que quer conduzir nosso agir. Assim sendo, seu namoro só poderia ser um namoro santo! Não tenha vergonha dessa expressão, não tenha medo de dizer para seu namorado ou namorada: eu quero que a gente tenha um namoro santo! Pois a santidade é a nossa meta de vida individualmente e, óbvio, também junto a pessoa que nós amamos.