23 de outubro de 2011

Retiro da Crisma na Mãe Peregrina


27/03/2011 - Ontem pela manhã fui fazer uma palestra sobre Castidade num retiro de Crisma, nos Santuário da Mãe Peregrina em Sobradinho. O retiro estava muito bem organizado e fiquei impressionada com a quantidade de jovens que estavam participando: uma multidão! Eu já havia preparado um estudo sobre o tema durante a semana e, na noite anterior, quando todos estavam dormindo e a minha casa estava naquele clima de capela, eu me preparei para sentar e fazer um esquema do que considerava mais importante ser dito para àqueles jovens. Perguntava ao Senhor: "Sim, Deus, tenho aqui esse monte de informação sobre esse tema, mas o que aqueles jovens estão precisando ouvir de Ti?" E quando me encaminhava para o caderno, ia desligar a televisão (que estava ligada na TV Canção Nova) mas vi que ia começar uma palestra do Monsenhor Jonas Abib exatamente sobre sexualidade. Ouvindo a palestra e continuando em oração, ia bebendo da unção que saia da boca daquele bom velhinho que eu tanto amo e percebendo que o Senhor me encaminhava para ser tão sincera quanto ele com aqueles jovens. Ia me lembrando de que quando eu era jovem e estava no lugar deles, ou seja, estava sentadinha ouvindo e sendo instruida sobre castidade, as palestras do Monsenhor Jonas tinham mudado minha visão de mundo, tinham mudado minha vida, minha história. Aquela maneira dele de falar tão diretamente me chocava um pouco, mas tocava fundo na minha alma. Eu sentia que ele me tratava como adulta e não como criança. E assim eu me sentia respeitada enquanto jovem.  Não deu outra. Assumi a mesma postura do Monsenhor e fui franca, direta, super sincera na minha palestra. Expliquei àqueles jovens que eu ia tratá-los como adultos, e não como crianças ao sabor das ondas (Ef 4, 14) pois eles eram fortes, capacitados para vencer até o Maligno (1 Jo 2, 13b.14b). Me expus com meu testemunho de luta pela castidade na juventude, com todas os tropeços e quedas mas também com todo esforço nesse combate e implorei a Deus que essa obejtividade, essas palavras sem rodeios, possam ter tocado o coração daqueles jovens. E eu tenho confiança em Deus que sim, que Ele realizou uma obra maravilhosa naqueles corações assim como um dia realizou no meu. E ainda fiquei refletindo sobre como a obra de Deus na Igreja é maravilhosa: um dia estava eu ali, sentada, ouvindo, aprendendo sobre a vontade de Deus sobre minha santificação pessoal, e hoje em dia Deus me dá a graça de ser eu mesma essa canal para outros jovens. Eu amo a vida de Igreja!