9 de abril de 2013

Carta a um amigo de fé que se afastou de Deus



Um amigo fiel é uma poderosa proteção: quem o achou, descobriu um tesouro. Nada é comparável a um amigo fiel, o ouro e a prata não merecem ser postos em paralelo com a sinceridade de sua fé. Um amigo fiel é um remédio de vida e imortalidade; quem teme ao Senhor, achará esse amigo. Quem teme ao Senhor terá também uma excelente amizade, pois seu amigo lhe será semelhante. (Eclo 6, 14-17)

Querido amigo, amado irmão,
A Providência Divina movimentou nossa história para que nossos caminhos se encontrassem nessa nossa passagem tão breve por esta terra. Eu creio que foi obra de Deus termos nos conhecido na Igreja e nos tornado, como diz a canção, “amigos pra sempre, dois amigos que nasceram pela fé”. Eu acredito no sopro do Espírito Santo que movimenta várias vidas conectadas, formando como que uma "onda de realização da Vontade Divina". Creio que ter te conhecido nesse contexto de espiritualidade e fé tem um motivo, um propósito divino.
Para mim, você é mais que um amigo, em Cristo somos irmãos (Prov 18, 24). Hoje o nosso Pai me pergunta como perguntou a Caim: “Onde está seu irmão?" E eu não posso responder como ele respondeu: “Não sei! Sou porventura eu o guarda do meu irmão?”(Gn 4,9).  Não posso fingir que sou indiferente ao que se passa com você. Se eu não me importasse com você, certamente nem estava perdendo tempo com essas reflexões, mas o caso é que eu me importo.
O que foi que aconteceu? O que Deus fez para que você se afastasse Dele? Por que as coisas do Céu foram perdendo a importância para você? Em que momento, o que antes você considerava como verdade, se tornou mentira? Quando foi que Maria deixou de ser sua Mãe? Por que as palavras de Jesus naquela época faziam tanto sentido e agora não fazem mais? Que acontecimento fez com que a Eucaristia que comungávamos juntos deixou de ser o Corpo e o Sangue de Cristo para você? O que tem alimentado a tua alma, irmão? O que tem preenchido o teu coração? Que sonhos você tem sonhado que excluem tanto assim as coisas de Deus?
Eu conheço teu coração, amado irmão. Sei que ele já foi terra boa para a semente da Palavra (Mt 13, 4-23). Sei por que já colhi dos frutos que você frutificou para a minha caminhada de conversão. Quantas e quantas vezes você foi referência de santidade e busca de Deus para mim, para tantos! Quantas e quantas vezes você foi a Voz de Deus para os meus ouvidos! Quantas e quantas vezes dos seus braços eu recebi os abraços do Mestre, eu vi a misericórdia Dele em seus olhos, você foi canal da ação do Espírito para mim, para tantos!... Eu conheço teu coração, irmão, mas o que há nele nos dias de hoje? Que pássaros tem comido as sementes da Palavra de Deus que foram lançadas no seu coração? Que pedras as tem enterrado, que sol as tem queimado, que espinhos a tem sufocado? Pois a semente foi lançada, chegou a frutificar, eu sou testemunha! Mas qual o lugar da Palavra de Deus na sua vida hoje, meu querido irmão?
Não entendo tanto cansaço, indisposição, tédio, até mesmo uma certa hostilidade sua no quesito viver a Fé... Cansar-se de Deus é desistir do único Amor Verdadeiro, é retirar o sentido da própria vida! Se afastando de Deus, você se afasta de si mesmo, se desfigura, te desconheço... E não digo isso como julgamento, apenas com saudade! Sinto sua falta nas Adorações, nas Vigílias, nas Missas, nos terços... Sinto falta da sua sabedoria me aconselhando sobre a Palavra. Sinto falta da unção do seu cantar. Sinto falta da ação do Espírito atuando em você em favor da minha conversão, da conversão de tantos irmãos...
Meu irmão, ouça o apelo de Deus pela boca de alguém que te ama muito: “Buscai o Senhor, já que ele se deixa encontrar; invocai-o, já que está perto!” (Is 55,6) O propósito dessa carta não é te dar nenhum sermão, é antes um desabafo... Desabafo de amigo! Se eu, que sou tão imperfeito (e você sabe o quanto!) sinto sua falta, imagine o coração de Jesus como não está pela sua ausência... Volta para o Senhor! O Senhor é bom! As coisas de Deus são agradáveis também! Volta para a comunidade! Você faz falta! Você é querido! Não se trata de cobrança, de pressão: é o coração falando... Venha, vamos caminhar juntos de novo nos caminhos da eternidade! Não precisa falar nada, não precisa explicar nada: simplesmente volte. E continuaremos de onde paramos, passo a passo com Jesus, amparados por Maria.