24 de abril de 2015

Permanecer no Senhor Jesus


Reunimo-nos semanalmente neste grupo de oração com um único objetivo: ANUNCIAR JESUS. Esse Jesus que na plenitude dos tempos veio ao mundo para nos libertar da escravidão do pecado e da morte e nos dar uma vida nova, voltada não para as coisas perecíveis e acontecimentos passageiros da existência, mas para as realidades eternas. Esse Jesus que é o mesmo ontem, hoje e sempre, que cura, que liberta, que consola, mas principalmente que NOS SALVA.
Ouvi recentemente uma frase do missionário da Canção Nova Marcio Mendes que tocou profundamente meu coração. Ele dizia: “Você veio aqui buscando cura, libertação, prodígios e milagres, mas eu quero te dizer que você vai voltar daqui levando SALVAÇÃO”! Meu Deus! Como a convicção com que foram ditas essas palavras me tocaram! E eu quero dizer isso a você também: “Não importa o que você pensa que te trouxe a esse grupo de oração hoje! Pode ter sido uma doença, um casamento em crise, dívidas, decepções, tribulações... E muitas vezes o GO é mesmo como que um ‘pronto-socorro espiritual’, mas eu tenho certeza de que tudo isso foram ‘iscas’ que o Senhor usou para te atrair com um propósito: ter um encontro pessoal contigo por meio da efusão do Espírito Santo! Amém?!”
Abra sua Bíblia no eEvangelho de João, capítulo 15, versículos de 1 a 7:
“Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não der fruto em mim, ele o cortará; e podará todo o que der fruto, para que produza mais fruto. Vós já estais puros pela palavra que vos tenho anunciado. Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Assim também vós: não podeis tampouco dar fruto, se não permanecerdes em mim. Eu sou a videira; vós, os ramos. Quem permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. Se alguém não permanecer em mim será lançado fora, como o ramo. Ele secará e hão de ajuntá-lo e lançá-lo ao fogo, e queimar-se-á. Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis tudo o que quiserdes e vos será feito.”
Queridos irmãos, sabemos que quando dois ou mais estão reunidos em nome de Jesus, Ele se faz presente no meio deles (Mt 18, 20). Que Jesus está no meio de nós é fato, podemos ter a certeza disso! Ele permanece no meio de nós conforme tinha prometido: “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim do mundo!” (Mt 28, 20) Ele está aqui, está conosco, permanece com cada um de nós e com a Igreja, sua esposa. Mas e nós? Temos permanecido com o Senhor?
Pelo sacramento do Batismo fomos enxertados nessa videira que é o Senhor e somos verdadeiramente seus ramos. Você já viu um enxerto? Sabe como é feito? Corta-se um pedaço da planta, pega-se o raminho a ser enxertado e amarra-se na planta com um barbante, uma cordinha ou fita. Jesus é essa planta e nós fomos enxertados nele, sem Ele, nada podemos fazer! Sem Ele não temos vida!
Lembro-me de uma partilha que ouvi de um rapaz que tinha visto em seu momento de oração um galhinho de planta e nesse galho tinha uma folhinha que, embora estivesse lá no galho, era a única que estava amarronzada e seca. Ele se aproximou para tentar entender e viu que aquela folhinha não estava unida ao galho, mas estava só perto dele, presa por meio de teias de aranha. Às vezes estamos perto do Senhor, mas não ligados a Ele, não permanecendo Nele. E o resultado disso? Secaremos e morreremos. Renegaremos a Salvação conquistada por Jesus por um altíssimo preço. Perderemos a vida eterna, seremos lançados fora no fogo. Isso é muito sério.
Pois sem permanecer em Jesus, nada poderemos fazer, não teremos vida em nós! É de Jesus que nos vem a vida! Sem a seiva da árvore, o ramo morre. Essa seiva são os sacramentos (Confissão, Unção, Eucaristia, etc) e a experiência da Efusão do Espírito Santo que nos dá a vida da graça, que suporta nossa existência. E esse barbante que nos prende, nós enxertos, à videira Jesus, é a comunidade. Sem esse barbante, como é difícil permanecer enxertado!! Ligados em Jesus! Por mais que busquemos sozinhos, é muito difícil...
Eu morei por quase um ano em Portugal e por diversos motivos, não consegui me inserir em nenhum trabalho pastoral por lá. Continuava buscando o Senhor nas Missas, na minha oração pessoal, mas como a falta da vivência em comunidade foi me murchando, me secando, me desanimando! Como é bom fazer um trabalho pastoral! Como é bom pertencer a uma comunidade, como isso alimenta nossa espiritualidade, a nossa fé!
Precisamos permanecer em Jesus! É esta a prova da nossa conversão: não em vivermos grandes momentos de emoções, de sensibilidade pela presença do Espírito Santo, mas em permanecermos Nele. Por isso alguns pregadores preferem usar a expressão “o início da minha conversão” posto que é algo que se vive progressivamente. Não é uma experiência de um dia, mas de toda uma vida em permanência insistente e perseverante no Senhor que nos dá a vida e salvação. A VERDADEIRA CONVERSÃO É PERMANECER NO SENHOR JESUS!
Conversão não é não pecar nunca mais! Disso não seremos capazes nessa terra. São João afirma que aquele que acha que não tem pecado se ilude e é mentiroso (1 Jo 1, 8), mas se trata antes de lutar para não cair, se trata de PERMANECER no Senhor, se arrependendo sempre, buscando a confissão com o firme propósito de não cair mais naquela tentação. Na oração do Pai Nosso, Jesus não nos ensinou a pedir “Pai, que não haja tentações na minha vida”, mas sim para que nós não caíssemos em tentação. Há uma luta dentro de nós entre o espírito e a carne e por causa disso não fazemos o bem que queremos mas sim o mal que não queremos (Rm 7, 19). Mesmo pecadores e fracos, não podemos desanimar e conscientemente fazer tudo ao nosso alcance para permanecermos no Senhor! O Papa Francisco diz que Deus nunca se cansa de nos perdoar, nós é que cansamos de pedir perdão. Devemos sempre nos arrepender, reconhecer nossos pecados na certeza de que “Deus é fiel e justo para nos perdoar os pecados e para nos purificar de toda iniquidade” (1 Jo 1, 9).
E tendo essa consciência, nada, NADA vai nos impedir de permanecer no Senhor. Assim como os apóstolos nos primeiros anos da Igreja, devemos lutar até o sangue, se for preciso, para permanecer no Senhor Jesus, pois é a nossa única opção de vida e salvação! Quanto sofreram os apóstolos! Tantas pedradas, açoites, calúnias, prisões, mortes violentas sofreram por amor a Jesus! Para permanecerem em Jesus! Nada impediu que eles permanecessem no Senhor! ELES PERMANECERAM NO SENHOR, não por causa dos prodígios e milagres que viam o Senhor realizar por meio deles, mas por causa DO SENHOR! Em Atos 8, 14 e seguintes vemos a história de Simão, o mago da Samaria que, maravilhado pelo poder do Espírito de Deus, manifestado através dos apóstolos, ofereceu dinheiro a eles em troca de receber esse poder. Mas Pedro e João, como permaneciam NO SENHOR, recusaram e denunciaram tamanho equívoco! Não havia dinheiro nesse mundo que valesse a pena perder a permanência em Jesus! E não há mesmo!
Nada vale a pena mais do que permanecer no Senhor! N-A-D-A!!! Nenhum dinheiro, nenhum prazer passageiro, nenhum projeto pessoal que custe a nossa permanência, a nossa união com Jesus vale a pena! Quando temos um encontro com o Senhor Jesus, quando fazemos a experiência do Batismo no Espírito Santo, passamos a ter a noção de que não nos pertencemos mais, SOMOS DELE! “Ou não sabeis que o vosso corpo é templo do Espírito Santo, que habita em vós, o qual recebestes de Deus e que, por isso mesmo, já não vos pertenceis? Porque fostes comprados por um grande preço” (1 Cor 6, 19-20a). Somos Dele e nada pode nos separar mais.
“Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação? A angústia? A perseguição? A fome? A nudez? O perigo? A espada? estou persuadido de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem o presente, nem o futuro, nem as potestades, nem as alturas, nem os abismos, nem outra qualquer criatura nos poderá apartar do amor que Deus nos testemunha em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 8, 35.38-39).

Deus, em Jesus Cristo, jamais nos deixará, seu amor JAMAIS nos abandonará! Precisamos também nós, livremente, POR AMOR, fazer a nossa parte para permanecermos Nele. Como o Pai me ama, assim também eu vos amo. Perseverai no meu amor (Jo 15, 9). Só com as nossas forças humanas seria impossível, mas com Ele tudo é possível. Sem Ele, nada posso fazer, mas com Ele, eu posso! Tudo posso Naquele que me fortalece!