29 de julho de 2011

Oi, Senhor!...

 Minha vida é uma correria. São inúmeras tarefas a cumprir, muitas vezes simultaneamente! Meu grande desafio atual é encontrar "um tempo": um tempo pra mim, um tempo para o esposo, para cada filho, para meus pais, os amigos... e a lista continua indefinidamente...  Destes "tempos", o mais precioso e também um dos mais difíceis de priorizar no corre-corre cotidiano é o tempo sagrado da oração
Separar um tempo especial para Nosso Senhor me parece, de fato, o cumprimento mais simples do 1º mandamento: "Amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração, de toda tua alma e de todo teu espírito. Este é o maior e o primeiro mandamento." (Mt 22, 37s)  O amor se concretiza na relação, e orar é essencialmente se relacionar com Deus. Falar com Ele, sim, claro: agradecer-Lhe, pedir-Lhe, louvá-Lo. Contudo não somente falar, mas principalmente estar com Ele, como filho, como amigo... Este tempo é um refrigério na correria dos nossos dias, é um respirar da alma muitas vezes sufocada nos afazeres diários.
Que riqueza é a reflexão sobre a oração! Quanta beleza e paradoxalmente quanta utopia! Talvez isso nos ocorra. Sim, pois, na vida real, achar esse tempo para essa vivência simplesmente não acontece na prática! Queremos orar, queremos estar com Ele, muitas vezes nos cobramos isso pelos mais variados motivos, sentimos que devemos ter uma vida de oração... mas não conseguimos. 
Em 1º lugar, não podemos cruzar os braços e manter a mentalidade: "É impossível! Não consigo! Não dá!" Quem ama prioriza. Não posso me conformar em não ter esse momento com Aquele que é (ou deveria ser) o 1º em minha vida (Rm 12,2). Ele me coloca em 1º lugar e, com todo direito, exige que eu o coloque em 1º lugar também, antes de tudo e todos (Mt 10, 37). Tenho visto pela minha experiência: aquilo que é Vontade de Deus para mim, Ele mesmo me ajuda a conseguir. Peça ao Espírito Santo: "Ajuda-me a ter um momento Contigo!". E tenha a certeza que você vai obter o que pede, pois assim atesta a Palavra (Luc 11, 13)!
E mesmo nos momentos de maior correria de nossas vidas, nas nossas fases de maior ativismo, o Senhor ainda faz questão desse momento conosco. E ainda que nossos empreendimentos forem necessários, justos e até mesmo agradáveis a Ele, Jesus não vai abrir mão desse momento à sós com Ele. Isto está exposto com muita clareza no episódio de sua estada na casa das amigas Marta e Maria (Luc 10, 38-42): mesmo que haja mil coisas a fazer, Jesus me incentiva a  estar com Ele, a seus pés, ouvindo. E Ele garante, se eu escolher a boa parte, esta não me será tirada. Mas é preciso que eu opte por isso, que eu tenha uma atitude.  
Também não precismos restringir a companhia do Senhor a esse momento separado, pois a oração e a vida se entrelaçam quando Deus caminha comigo e eu caminho com Deus. Podemos e devemos encher nossa vida de oração, ou seja,  da presença de Deus, da memória Dele, do que ensina sua Palavra. O Catecismo da Igreja Católica ensina que "é em todos os tempos, nos acontecimentos de cada dia, que seu Espírito nos é oferecido para fazer jorrar a oração. (...) Orar nos acontecimentos de cada dia e de cada instante é um dos segredos do Reino revelados aos "pequeninos", aos servos de Cristo, aos pobres das bem-aventuranças". (§2659 e 2660)
 Tenho vivido a experiência de orar ao longo da vida, em meio à vida, durante as tarefas, conforme as coisas vão acontecendo e o dia vai passando. Partilho alguns exemplos bem práticos. 
Quando estou assistindo os noticiários ou lendo o jornal, sempre aproveito para rezar, para intecerder pelas mazelas do mundo e do Brasil. É o momento que mais faz sentido para mim a jaculatória do terço da misericórdia: "Tende misericórdia de nós e do mundo inteiro". 
Outros exemplos: sempre quando coloco meu nenê para dormir o soninho da manhã ou da tarde, em seu quartinho, enquanto balanço sua rede, é um momento que costumo sempre rezar por ele, pelos irmãos, meu marido, nossa família. Já virou rotina!
Quando tomo banho, enquanto a água do chuveiro cai sobre mim, muitas vezes aproveito para clamar uma nova efusão do Espírito Santo. Mesmo que seja breve e simples, eu peço: Vem, Santo Espírito, lava-me, inunda-me...
Fazendo faxina ou varrendo a casa, sempre me vem à mente as sujeiras que às vezes guardo dentro de mim, e aproveito para refletir num exame de consciência e fazer um ato penitencial. Muitas vezes é providencial aproveitar a faxina da casa e logo em seguida, dar um pulinho na paróquia e emendar uma confissão!
Quando a pia está lotada de louça (o que, feliz ou infelizmente, ocorre com uma boa frequência), nada melhor que ouvir uma palestra de espiritualidade, ou acompanhar algum programa interessante nas TVs Católicas e ir conversando com o Senhor.
Quando vou passar o domingo na casa dos meus pais, ao invés de ficar de papo ou na TV a tarde toda, convido minha mãe e as crianças para rezarmos um terço em meio aos brinquedos espalhados no quintal. A caminhada também é uma ótima oportunidade para o Rosário!
Dirigindo, é bom ligar o rádio numa estação Católica e orar com a programação e as canções. Aliás, quando a alma está vazia, sem idéias, quando diante do Senhor eu fico "sem papo", quando a aridez me ataca ou simplesmente o cansaço "pega pesado", eu canto. Rezo cantando e canto rezando! Outras vezes, escrevo...
Quando trabalho no computador, que maravilha! O Senhor navega comigo! Liturgia diária, Liturgia das Horas, meditações, estudos, partilhas... Inclusive, esse Blog! O Senhor tem agido tanto por meio dele em mim, em minha vida! 
Nós não temos mais desculpas. O dia de começar a ter vida de oração é HOJE! O momento é AGORA! O Senhor já está aqui ao meu lado, nesse mesmo instante, enquanto leio essas linhas. Ele tem estado comigo em todos os meus momentos! É hora de estar também com Ele e não mais ignorar sua presença constante em minha vida. Vamos lá? 
É muito simples! 
Podemos começar assim: "Oi, Senhor..."