29 de novembro de 2013

Feliz Ano Novo Litúrgico!


O fim do ano litúrgico se aproxima. Tempo de refletir sobre como foi nossa participação na Igreja neste ano que passou! Será que em meio a tantas realizações em minha vida, houve tempo para me dedicar à evangelização, ao serviço do altar, às obras de caridade, formação dos fiéis, à manutenção do Templo... alguma coisa?!?

Sempre gosto de fazer um balanço no fim do ano, meditar sobre os acontecimentos bons, as vitórias, as conquistas; mas também sobre as perdas, as falhas, as promessas não cumpridas. Em meio a memórias e louvores, pus em cheque minha contribuição para a Igreja esse ano: fui o melhor que pude no meu serviço? Servi da melhor maneira que podia? Superei o ano passado? Pelo menos mantive minha fidelidade o máximo que poderia? Participei de alguma pastoral? Contribui com o Dízimo? Ajudei alguma pessoa além de mim mesmo e da minha família? Fui em direção do próximo levando uma palavra de fé, de consolo, de alegria?

Vamos refletir. Deus é bom, nos providencia tudo, nos protege constantemente de tantas coisas, nos oferece seu amor cada dia do ano! E Ele conta conosco para alcançar muitos de seus filhos, irmãos nossos, que vivem em grande miséria seja material, seja, como sempre diz o Papa Francisco, existencial. Deus conta comigo! Deus conta contigo! A Igreja está sempre de portas abertas para quem quer colaborar com humildade, compromisso, com fé! A Igreja precisa de você, batizado! A Igreja é sua Mãe, e precisa e conta com você, com seu talento: não o enterre!

Jesus está voltando, irmão, irmã! Colabore com o anúncio de seu Reino não por medo, mas em retribuição a tudo o que Ele te dá, à sua saúde, à sua vida! Trabalhe em alguma coisa na Igreja POR AMOR! Por amor a Ele, por amor aos filhos Dele, nossos irmãos que necessitam tanto de alguém para levar amor onde só há ódio; que saibam perdoar nesse mundo onde impera o rancor; que seja instrumento de paz onde as pessoas tem se especializado na arte da briga; que sejam acolhedores e solidários nesse cotidiano de rejeições... Deus conta comigo e com você para semear esperança onde “tudo seja triste simplesmente por não saber de Cristo”...

Reflita sobre tudo o que você poderia ter feito mas não fez por preguiça, por soberba, por não priorizar a Deus... por tantos outros motivos, tantas outras justificativas, tantas outras desculpas... Deus tudo vê e a Ele não podemos “enrolar” com explicações: Ele nos conhece por dentro e por fora, o que fazemos conscientes e inconscientemente e está sempre pronto a nos perdoar, a nos acolher de novo, a nos aceitar, compreender. Ele perdoa nossa ausência mas nos quer! Quer cada um de nós junto Dele, na família Dele que é a Igreja! Trabalhando, servindo, sendo curado, liberto, restaurado por Sua graça e O ajudando a curar os outros, libertá-los e restaurá-los sempre nos submentendo à sua unção! Volta! Volta para Deus e para a Igreja, sem medo! Ele nos espera e conta conosco! Ele quer precisar de nós!

Deus nos dá quantas e quantas chances precisarmos, nos dá 365 dias de “novas oportunidades”, mas não percamos mais tempo: vamos fazer mais por Ele, pela Mãe Igreja, pelos outros e, consequentemente, por nós mesmos...
Volte para Igreja! Volte para Deus!

Como nos faz bem voltar para Ele, quando nos perdemos! Insisto uma vez mais: Deus nunca Se cansa de perdoar, somos nós que nos cansamos de pedir a sua misericórdia. Aquele que nos convidou a perdoar «setenta vezes sete» (Mt 18, 22) dá-nos o exemplo: Ele perdoa setenta vezes sete. Volta uma vez e outra a carregar-nos aos seus ombros. Ninguém nos pode tirar a dignidade que este amor infinito e inabalável nos confere. Ele permite-nos levantar a cabeça e recomeçar, com uma ternura que nunca nos defrauda e sempre nos pode restituir a alegria. Não fujamos da ressurreição de Jesus; nunca nos demos por mortos, suceda o que suceder. Que nada possa mais do que a sua vida que nos impele para diante! (Papa Francisco, in Evangelii Gaudium)


Desejo a você boas e sinceras reflexões em espírito de oração! Que o Espírito Santo possa revelar a você onde é preciso melhorar, o que é preciso modificar neste ano que se inicia no próximo 1º Domingo do Advento para ser mais de Deus, mais da Igreja. Que nas meditações do ano que vem possamos estar mais engajados, mais comprometidos, sendo mais fiéis a Ele em Sua Igreja amada! Feliz Ano Novo Litúrgico!