4 de dezembro de 2012

Nos preparar, mais do que apenas esperar



Antes mesmo de me converter seriamente ao Catolicismo, sempre achei interessante essa ideia de um período de preparação que a Igreja sugeria para os fiéis antes das datas importantes, por exemplo a Quaresma mas também o tempo que estamos vivendo agora, o Advento. Fui aos poucos incorporando isso em minha vida em vários momentos importantes: tempos especiais de preparação dentro do namoro com o Juliano (meu marido há 11 anos), tempo do noivado, como partilhei neste post http://migre.me/cdzBd, nas gestações... enfim, tenho aprendido cada vez mais que tempos de espera são especiais em nossa vida e viabiliza amadurecimento e, consequentemente, um progresso. Para pessoas ansiosas (como é muitas vezes o meu caso) e como atesta Eclo 2,3, esperar é sofrer, pois é uma situação de dependência, de estar à mercê de algo ou alguém fora do nosso controle ou domínio. No entanto, quando mudamos a perspectiva e enxergamos a espera como possibilidade de preparação para algo, isso modifica algo internamente em nós: esperar sugere passividade, em contrapartida se preparar, implica em uma atitude pró-ativa, ter planejamento, atitudes concretas nesse período que antecede o evento. Uma coisa é esperar por algo, ou alguém. Outra bem diferente é se preparar para tal. É nesse entendimento que busco viver o Advento.
Os ensinamentos da Igreja sobre o tempo do Advento são belíssimos, nos permite um mergulho na espiritualidade e uma intimidade ainda maior com o Nosso Senhor, Nossa Mãe Maria, com sua liturgia riquíssima, suas práticas devocionais cheias de simbolismos que de fato colaboram para uma mística especial. Apesar da Wikipedia nem sempre ser uma fonte confiável de informações no mundo virtual, achei interessante o link http://migre.me/cdlz3 que traz resumidamente vários tópicos referentes ao tema. É sempre bom buscar entender, conhecer, meditar, por isso nunca passo esse tempo sem ler algum artigo, ou livro, blog, qualquer que se seja o material sobre o tema do Advento. Também recomendaria esse post no Blog do Padre Luizinho, da Comunidade Canção Nova, que achei excelente: http://migre.me/cdlBv
Outra sugestão é que a Liturgia tome um lugar de destaque em nosso dia-a-dia. São vários sites que disponibilizam a liturgia diária (muitas vezes já com comentários ou homilias) além das costumeiras publicações como a “Liturgia Diária” ou o “Deus Conosco” à venda em qualquer livraria católica. Acrescentamos a Oração da Liturgia das Horas, de uma riqueza ímpar, que tem sido publicada pela Ed. Paulus também mensalmente ou podemos acessar online também (http://liturgiadashoras.org/)! Por essa via da Palavra de Deus meditada na Liturgia, com certeza nos aproximaremos (ou reaproximaremos) do Senhor nesse tempo único, pois em cada trecho podemos confiar que Ele quer se comunicar conosco, falando o que precisamos ouvir, o que precisamos nos atentar em nossa vida, o que precisamos modificar, além de todas as declarações de amor Dele para o ser humano, para o seu povo, para cada um de nós pessoalmente, que afloram nas linhas e entrelinhas das Sagradas Escrituras. As Liturgias dos Quatro Domingos do Advento merecem uma atenção especial e valem, além da Santa Missa bem rezada e bem participada,  uma meditação em família, uma bela coroa do Advento em nossas casas ou mesmo um estudo mais analítico feito à sós, antes de dormir...
Uma aproximação para Nossa Senhora também vai bem a calhar nesse tempo. A Liturgia já contribui para tal, mas a meditação do Santo Terço, o Ofício de Nossa Senhora, as Mil Ave-Marias... ou mesmo uma única Ave-Maria rezada com amor, com consciência, já agradaria. Nesse tempo, eu gosto sempre de meditar no Mistério da gestação de Nossa Senhora, eu que sou mãe também, que sei o que é estar grávida, gosto de contemplar, em espírito de profundo respeito e devoção, esse fenômeno espetacular, de um Deus se desenvolvendo no ventre dessa mulher definitivamente especial. Gosto de estreitar minha relação com Ela, como filha, como serva e sentir o quanto isso me aproxima de Seu Filho também...
Intensificar a vivência sacramental é outro chamado. Com a Confissão e a Eucaristia, não só no Advento, obviamente, mas se permitimos a unção do Espírito agir sobre nós, vivemos a experiência do “Senhor que vem” concretamente. 
Vigilância, caridade, reconciliação... não são só palavras soltas num cartão de Natal, mas podem ser verdadeiras opções muito concretas para a vivência do Advento. Questionar e reformular a maneira como se vive as “festas de fim de ano” também! Eu não diria trocar, mas privilegiar as capelas antes dos  shoppings; as novenas de natal antes dos “amigo-secretos”; a doação de cestas básicas a quem precisa antes de preparar uma ceia farta que muitas vezes acaba em desperdício; a contemplação da pobreza do presépio antes do consumismo desenfreado dos presentes de debaixo da árvore de Natal; a reconciliação sincera com aqueles que nos magoaram ou a quem magoamos ao invés dos votos fugazes de “Boas Festas”... Tudo isso pode ser a chance que o Senhor nos dá a cada fim de ano civil e início de Ano Novo Litúrgico para recebermos Dele a vida em abundância que prometeu (Jo 10,10)!
Ou mesmo se não for nada disso que você leu acima, com certeza o Espírito tem ótimas ideias e excelentes insights para inspirar o seu Advento esse ano! Seja para vivê-lo em sua família, em seu trabalho, ou em seu grupo da Igreja, em casal (em seu namoro/noivado/matrimônio), talvez sozinho(a) mesmo... Eu e meu marido temos 4 filhos, um recém-nascido. Antes mesmo do parto, eu tive o cuidado de deixar tudo pronto para a vivência das nossas crianças do Advento: preparamos a decoração da casa com motivos cristãos (presépios, anjinhos, estrelas etc), preparei a novena de Natal que faremos com eles, um calendário que faz a contagem regressiva para o Natal e que pretendemos ir trabalhando a liturgia do dia com eles... Já que a dinâmica de nossa casa gira em torno deles, o Advento aqui (como também o Natal, a Páscoa, etc...) tem sido bem "infantil", pois assim o Espírito Santo nos inspira! Encontramos tanto material para a vivência do Advento para crianças na internet, e vamos trabalhando em cima, vendo o que cabe mais na nossa realidade... As crianças adoram! Depois postarei nossa experiência de Natal de 2012 também aqui por esse blog...
Seja qual for a inspiração do Divino Amigo, vale a pena segui-la, e colher os frutos espirituais dessa semeadura. Só não dá para ficar indiferente ou negligenciar, deixar o Advento passar em brancas nuvens, pois sobre essas brancas nuvens se verá o Filho do Homem voltar com poder e glória (Mt 24, 30): é essa a verdade do Advento! Ele veio, Ele vem e Ele virá! Estejamos atentos, não meramente esperando, mas nos preparando, já vivenciando esta vinda!