20 de setembro de 2011

Dom Carismático da Profecia - Parte 1

Dom da Profecia
A Sagrada Escritura atesta que Deus é amor (1 Jo 4, 8b).
Também o Catecismo da Igreja Católica, em seu parágrafo 27, explica que “o desejo de Deus está inscrito no coração do homem, já que o homem é criado por Deus e para Deus; e Deus não cessa de atrair o homem a si, e somente em Deus o homem há de encontrar a verdade e a felicidade que não cessa de procurar”, ou seja, se o homem existe é porque Deus o criou por amor.
Após criá-lo, Deus revelou-se e doou-se ao homem por amor (CIC 68; Efe 1,9) ao longo da história da salvação até os dias de hoje.
Deus tem a iniciativa, vai à procura do homem, quer relacionar-se, comunicar-se em amor, quer revelar-se e doar-se ao homem.
A Dei Verbum em seus parágrafos 3 e 14, ilustra essa busca de Deus pelo homem desde o Antigo Testamento e no decurso de toda a história do povo de Israel, já no momento da criação, na época dos patriarcas, juízes, reis e por fim, através dos profetas, quis estreitar esta comunicação divino-humana, numa dinâmica na qual estes portavam a palavra de Deus e ofereciam ao povo.  
Na plenitude dos tempos, Jesus não portava a palavra de Deus: ELE ERA A PRÓPRIA PALAVRA ENCARNADA! Ele manifesta para o homem o Pai, sua Palavra, seu amor: 

  • Jo 1, 1.14ª: No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. E o Verbo se fez carne e habitou entre nós. 
  • Jo 14, 10. 24b: As palavras que vos digo não as digo de mim mesmo; mas o Pai, que  permanece em mim, é que realiza as suas próprias obras. A palavra que tendes ouvido não é minha, mas sim do Pai que me enviou. 
  • Ef 2, 18: Porquanto é por ele que ambos temos acesso junto ao Pai num mesmo espírito. 
  • Jo 3, 34 a: Com efeito, aquele que Deus enviou fala a linguagem de Deus, porque ele concede o Espírito sem medidas. 
  • Jo 16, 27: O próprio Pai vos ama.


A FIGURA DO PROFETA NA BÍBLIA
No Antigo Testamento


JESUS: SUMO PROFETA

CIC §436. O Messias devia ser ungido pelo Espírito do Senhor, ao mesmo tempo como rei e sacerdote  mas também como profeta. Jesus realizou a expectativa messiânica de Israel na sua tríplice função de sacerdote, profeta e rei.
Heb 1, 1-2: Muitas vezes e de diversos modos outrora falou Deus aos nossos pais pelos profetas. Ultimamente nos falou por seu Filho, que constituiu herdeiro universal, pelo qual criou todas as coisas.
No Novo Testamento
Profeta como escolhido e chamado por Deus.
Jer 1, 5: Antes que no seio fosses formado, eu já te conhecia; antes de teu nascimento, eu já te havia consagrado, e te havia designado profeta das nações.
Isa 6, 8: Ouvi então a voz do Senhor que dizia: Quem enviarei eu? E quem irá por nós? Eis-me aqui, disse eu, enviai-me.

Pelo Espírito Santo, TODOS serão profetas.

Joel 3, 1-2: Depois disso, acontecerá que derramarei o meu Espírito sobre todo ser vivo: vossos filhos e vossas filhas profetizarão; vossos anciãos terão sonhos, e vossos jovens terão visões. Naqueles dias, derramarei também o meu Espírito sobre os escravos e as escravas.

1 Cor 14, 31 a : Todos, um após outro, podeis profetizar.

Profecia como missão para uma vida inteira, como ministério.

CIC §2581 O Templo devia ser para o povo de Deus o lugar de sua educação à oração: as peregrinações, as festas, os sacrifícios, a oferenda da tarde, o incenso, os pães da "proposição", todos esses sinais da Santidade e da Glória de Deus, Altíssimo e tão próximo, eram apelos e caminhos da oração. Mas o ritualismo  arrastava muitas vezes o povo para um culto por demais exterior. Faltava a educação da fé, a conversão do coração. Foi a missão dos profetas, antes e depois do Exílio.
Profecia para o bem comum da assembléia.

1 Cor 12, 7: A cada um é dada a manifestação do Espírito para proveito comum.

1 Cor 14, 3-4 b: Aquele, porém, que profetiza fala aos homens, para edificá-los, exortá-los e consolá-los. O que profetiza, edifica a assembléia.

Ou seja, em nossos dias, TODOS os batizados poderão ser usados por Deus, por meio de seu Santo Espírito para transmitir Sua mensagem como profetas. Mas como isso pode ser possível? A Palavra de Deus e o Magistério da Igreja nos atestam!

  •   Em verdade, em verdade vos digo: aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço, e fará ainda maiores do que estas, porque vou para junto do Pai. Jo 14, 12 
  •  É Deus que opera tudo em todos. É um e o mesmo Espírito que distribui todos estes dons, repartindo a cada um como lhe apraz. 1 Cor 12, 6.11 
  •  Pela obra da graça, o Espírito Santo nos educa à liberdade espiritual, para fazer de nós livres colaboradores de sua obra na Igreja e no mundo. CIC 1742 
  •  Quando vier o Paráclito, o Espírito da Verdade, ensinar-vos-á toda a verdade, porque não falará por si mesmo, mas dirá o que ouvir, e anunciar-vos-á as coisas que virão. Jo16, 13 
  •  O povo santo de Deus participa também da função profética de Cristo." Isso se verifica de modo particular pelo sentido sobrenatural da fé, que é de todo o povo, leigos e hierarquia, apegando-se "indefectivelmente à fé uma vez para sempre transmitida aos santos", e aprofunda a compreensão da mesma e torna-se testemunha de Cristo no meio deste mundo. CIC § 785
  •  "Cristo... exerce seu múnus profético não somente por meio da hierarquia... mas também por meio dos leigos, fazendo deles testemunhas e provendo-os do senso da fé e da graça da palavra": Ensinar alguém para levá-lo à fé é a tarefa de cada pregador e até de cada crente. CIC § 904
  •  Os leigos exercem sua missão profética também pela evangelização, "isto é, o anúncio de Cristo feito pelo testemunho da vida e pela palavra". Nos leigos, "esta evangelização... adquire características específicas e eficácia peculiar pelo fato de se realizar nas condições comuns do século". CIC 905
  •  Pelo Batismo, (os batizados) participam do sacerdócio de Cristo, de sua missão profética e régia; “sois a raça eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo de sua particular propriedade, a fim de que proclameis as excelências daquele que vos chamou das trevas para sua luz maravilhosa” (1Pd 2,9). CIC 1268.